domingo, 27 de fevereiro de 2011

A Esperança que Ainda não Chegou



Não vi o sol nascer
Quando pensei
Não vi a lua brilhar
Quando anoiteceu
O vento que soprava
Se enfureceu
A brisa mansa foi embora
Para longe

As ruas que não são belas
Entristeceram
Vendo a exclusão impiedosa
Chegar
Matando pouco a pouco o sorriso
Da felicidade
Da alegria
A caminhar

Um progresso com sucesso
Está querendo
Acontecer para o nosso bem comum
Mas porque, Meu Deus, porque?
O bloqueio que assusta e apavora
Chega agora
Pra desmoronar?
Não queremos, não aceitamos
Mas calamos
Nos omitimos, partindo
Deixando tudo acabar

(11/10/2007)

2 comentários:

  1. parabéns pelo blog. Na abertura do mês da mulher nada mais sugestivo do que um blog escrito por uma grande mulher. líder, mãe,carismática e amada por Deus, Arez! os filhos teus não fogem à luta! E esse é um exemplo de mulher que ama, luta, batalha e é vitoriosa. Acima de tudo por que tem um Deus que à sustenta. Continue escrevendo seus poemas, podemos não trazer para Arez o progresso que ele precisa mas lutaremos com o que mais importante dom que temos: As palavras.E a liberdade de expressá-las. Essas serão levadas por uma mão gigante e quem sabe um sábio não as entende? um abraço da sua Pastora que te admira muito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luciene, seu comentário me emociona. Lindas palavras que saem do coração. Obrigado minha querida pastora. Mulher que Deus escolheu para servi-lo.

      Excluir