segunda-feira, 28 de março de 2011

A VOCÊ QUE TANTO AMO

  Minhas filhas todas, se parecem muito comigo; e essa então, se parece mais ainda, até nos problemas do dia-a-dia. Numa fase difícil de sua vida, eu escrevi a poesia 42:          



 Avaliando o sofrimento de alguém que amo,                                                                        
Passando com ela aquela mesma amargura,
Como é difícil Senhor, quando se gosta tanto,
Passar pelo fogo,  e não ficar marcas da queimadura.

Todos vêem se admiram e dizem; oh! ah!
Mas porque,  porque, tanto sofrer !?
Talvez perguntem porque nunca tenham passado,
Pelo sofrimento de ver perder o seu amado.


A falta de alguém que nós amamos,
Definha,  maltrata, e revolta a nossa vida,
Enlouquecemos talvez,  acho que sim,
Porque perdemos a pessoa mais querida.

Essa falta de alguem que nos amamos,
Sinto que arranca um pedaço do nosso ser,
Inquietos,  sem graça e sem ânimo,
Perdemos até a vontade de viver.

O choro sufocante de nossa alma,
Que brame com a tristeza que nos assola,
Que amor é esse que nos mata pouco a pouco,
E que nos deixa a mendigar uma esmola?

Esmola de um pouco de carinho,
Esmola de um pouco de olhar,
Esmola de um abraço afetuoso,
Esmola de você pra te amar.

ano de 2003-Marluce Aires da Silva

2 comentários:

  1. Eu não conhecia essa mãe.
    Apesar de linda, é triste!

    ResponderExcluir
  2. Eu não conhecia essa mãe.
    Apesar de linda, é triste!

    ResponderExcluir